Como ler livros na Era Digital - uma introdução ao mundo dos ebooks


Há três anos atrás, publiquei aqui um pequeno apanhado sobre as várias opções disponíveis para ler ebooks e um pequeno vídeo sobre como ler livros no iPad. Algumas coisas foram mudando entretanto no mundo da tecnologia, por isso pensei em partilhar convosco uma pequena atualização sobre este assunto.

Para ler livros em formato digital (ebooks) há cada vez mais opções disponíveis. Muitos de nós – por vezes mesmo sem o saber – temos em casa ou trazemos sempre connosco um aparelho capaz de armazenar e apresentar livros em formato digital, os tão falados ebooks.


Ler no iPhone e smartphones em geral


Grande parte dos telemóveis usados atualmente atuais são aquilo a que até há algum tempo atrás se costumava chamar smartphones, que é como quem diz, telemóveis que ou incluem de série ou permitem a instalação de aplicações para a leitura de livros. Toda a gente conhece o iPhone com a sua excelente app iBooks, mas poderíamos acrescentar também a plataforma Android, com a aplicação Google Play Livros. Existe também uma diversidade enorme de aplicações que é possível instalar nesses dispositivos, que aumentam a sua compatibilidade com outros formatos ou que permitem obter uma experiência mais personalizada. Eu, por exemplo, gosto muito de ler livros em formato ePub no iPhone com uma aplicação excelente chamada Marvin.

Se por um lado, o ecrã de um telemóvel pode ser demasiado pequeno para ler confortavelmente durante horas a fio, por outro lado, os ecrãs dos telemóveis não têm parado de crescer (até a Apple, com o iPhone 6 e o iPhone 6 Plus, adotou essa tendência, disponibilizando modelos com ecrãs com até 5,5 polegadas). Além disso, as apps especializadas na leitura de ebooks fazem um excelente trabalho de adaptar o texto ao tamanho do ecrã e, às vezes, o melhor livro é aquele que está sempre à mão no nosso bolso – no comboio, numa fila de supermercado ou no intervalo do lanche. Confesso que já li de ponta a ponta vários livros bem extensos (por exemplo Steve Jobs, de Walter Isaacson, Todos os Nomes, de Saramago, ou The Picture of Dorian Gray, de Oscar Wilde) no pequeno ecrã de um iPhone 4.

Ler no iPad e tablets em geral


Ao mesmo tempo, muitas famílias têm em casa algum tipo de tablet, seja ele um iPad, um Surface (um quê?) ou qualquer outro. Se nos telemóveis temos como vantagem o facto de podermos levar no bolso todos os nossos livros (e os dicionários, que dão imenso jeito quando andamos a ler livros em língua estrangeira), no caso dos tablets aliamos uma relativa portabilidade a um conforto de leitura ainda maior. Ecrãs com o tamanho de uma boa edição em papel, muitas vezes com uma excelente resolução, tornam estes dispositivos (que também são cada vez mais leves) numa das formas mais práticas e confortáveis de ler livros na atualidade. No caso do iPad, há inclusivamente livros interativos que foram otimizados para oferecer uma experiência única, perfeitamente adaptada a este formato, e que incluem elementos multimédia com os quais podemos interagir.

Além disso, tudo o que atrás dissemos em relação à diversidade de aplicações que podemos usar nos smartphones aplica-se igualmente aos tablets. Podemos, por exemplo, instalar no iPad as apps Kindle, Kobo, Scribd e Google Play Livros, para ter acesso às obras que são vendidas em cada uma dessas plataformas de distribuição. Ou podemos instalar a app Voice Dream para que o iPhone ou iPad leia o livro em voz alta para nós. Ou, ainda, podemos instalar a app BlueFire Reader, para conseguirmos ler livros que ainda usem o malfadado DRM.

Finalmente, tanto nos smartphones como nos tablets, podemos fazer uma outra coisa muito interessante: partilhar o que lemos e ler os comentários e recomendações de outros leitores. A rede social GoodReads (e a sua app com o mesmo nome) existe precisamente para isso, e um leitor ávido que se preze tem de ter conta ativa lá. Mas poderíamos evidentemente, mencionar outras possibilidades de partilha, incluindo Facebook, Twitter, Google Plus, SMS ou mesmo o velhinho email.

Ler no computador


Há quem ainda leia estes livros diretamente no computador, por vários motivos. E embora esse seja talvez o método que menos aproveita as vantagens dos livros em formato digital, às vezes dá jeito. Podem ser úteis, neste caso, aplicações como iBooks (para Mac), Adobe Digital Editions (para Mac e Windows) ou Calibre (Mac, Windows e Linux), entre outras.

Kobo, Kindle e e-readers em geral


Para os leitores incondicionais, aqueles que devoram livros e que não toleram a ideia de poder ficar sem bateria a meio de um capítulo, continua a haver alguns dispositivos de leitura especializados (conhecidos como e-readers ou como livros eletrónicos). É o caso do Kindle e do Kobo, que tem tido mais projeção cá em Portugal, entre outros. Esse tipo de dispositivos são geralmente leves e relativamente pequenos, e incluem ecrãs e-ink com menos reflexos, muito parecidos com o papel, pelo que dão uma experiência de leitura bastante agradável. Alguns modelos incluem ecrã iluminado, que permite ler às escuras – o que é muito prático, embora muitos de nós acabemos por adormecer ao fim de poucas páginas.

Já tenho um dispositivo - mas onde posso comprar os ebooks?


Alguns dispositivos ou aplicações já incluem associada uma plataforma de distribuição de livros - uns gratuitos, outros pagos. Isto aplica-se ao Kindle, ao Kobo, e também à app iBooks da Apple ou ao Google Play Livros na plataforma Android. Geralmente, as plataformas nativas oferecem o máximo de comodidade, uma facilidade de navegação e compra de livros difícil de igualar por outros distribuidores.

Contudo, há muitos outros fornecedores de conteúdos que podem disponibilizar livros que não se encontram à venda nessas lojas “oficiais”, que oferecem os mesmos livros em diferentes formatos ou que podem por vezes oferecer preços mais vantajosos. Por exemplo, podemos usar o iBooks mas comprar com desconto alguns livros que estejam em promoção na Smashwords. No caso da Smashwords, ficamos quase sempre com acesso a versões compatíveis com vários dispositivos, incluindo Kindle e Kobo. Assim, podemos ler sempre o livro independentemente do dispositivo que estivermos a usar.

Convém lembrar também que alguns autores e editoras podem também optar por não distribuir globalmente os seus livros usando as referidas plataformas, escolhendo antes uma distribuição direta através dos seus próprios sites.

Finalmente, o Projeto Gutenberg é uma excelente fonte de obras clássicas em várias línguas que, por estarem no domínio público, são disponibilizadas gratuitamente.


Outros artigos que poderão interessar-lhe: